Notícias

Boletim Redecomep

Nº16 / 2009 – Janeiro

[RNP, 03.02.2009]


    Destaques


    O destaque desta edição é a escolha do fornecedor responsável pela construção da Rede Comunitária de Educação e Pesquisa de São Carlos. A empresa Ômega venceu a Solicitação de Propostas (SDP) lançada pelo Comitê de Avaliação da Rede Sanca, que é o projeto-piloto da expansão da iniciativa Redecomep para além das 27 cidades que hospedam os Pontos de Presença (PoP) da RNP.

    A interiorização prevê a implementação de dez redes comunitárias em cidades que abriguem ao menos duas instituições primárias de educação e pesquisa. A Rede Sanca é o projeto piloto desta nova etapa, que inicialmente levará redes de alta velocidade a Campinas (SP), Itajubá (MG), Ouro Preto (MG), Pelotas (RS), Petrolina, São José dos Campos (SP), Uberaba, Uberlândia (MG), Niterói (RJ), Petrópolis (RJ). Atualmente, as Redes de Niterói e Petrópolis estão em fase de elaboração de seu projeto executivo.

    Supervisões


    As obras da Rede Metropolitana de Curitiba foram concluídas. No momento, a Rede passa pela avaliação final e, em breve, será divulgada a data de sua inauguração. Com 65 km de extensão, a Rede interligará 13 instituições de ensino e pesquisa.

    As propostas recolhidas após o lançamento da SDP para selecionar o fornecedor responsável pela construção da Rede Metropolitana do Rio de Janeiro, passam atualmente pela análise do Comitê de Avaliação. A empresa indicada pelo Comitê terá sua proposta submetida à Diretoria Executiva da RNP, para homologação.  O resultado final deve ser anunciado em fevereiro.

    Na Região Norte, os projetos executivos das Redes Metropolitanas de Rio Branco (AC), Palmas (TO) e a RedeBV  (RR) foram concluídos.  O projeto da Rede de Rio Branco foi encaminhado à Eletroacre, e assim que a companhia aprová-lo, a Brastelecom, empresa responsável pela construção, poderá iniciar as obras.

    Quanto à Rede BV, seu projeto foi enviado à Eletrobrás, que realizará a permuta de infra-estrutura por meio da Boa Vista Energia, braço da companhia em Roraima. A Rede Metropolitana de Palmas encontra-se na mesma situação, com seu projeto encaminhado à Celtins, companhia elétrica do Grupo Rede em Tocantins. Assim que os projetos executivos forem aprovados pelas empresas parceiras, as obras poderão começar.

    No Centro-Oeste, começaram as obras da Rede Metropolitana de Cuiabá (MT), a Pantaneira, que terá 11 pontos, 40 km de extensão, e interligará as seguintes instituições: Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Centro Federal de Educação Tecnológica de Mato Grosso (CEFET-MT), Hospital Universitário Júlio Muller (HUJM), Instituto de Metrologia e Qualidade de Mato Grosso (IMEQ - MT), Centrais Elétricas Mato-Grossenses S.A. e a unidade de Cuiabá do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

    Em Campo Grande (MS), a primeira versão do projeto executivo foi enviada à Enersul. A parceria entre o Governo Estadual do Mato Grosso do Sul e o Ministério de Ciência e Tecnologia foi formalizada no final de 2008 e possibilitou o uso da infra-estrutura da Enersul para a passagem das fibras ópticas da Rede. A previsão é de que a versão final do projeto seja concluída em fevereiro e as obras comecem em março.

    Em Pernambuco, aconteceu a reunião de kick-off com a empresa Ômega, responsável pelo projeto executivo e construção da Rede Metropolitana de Recife, a Rede Icone. A parceria com a Companhia de Energia Elétrica de Pernambuco (Celpe) foi firmada, o que possibilita o início das obras assim que o projeto for concluído.

    Atualmente, na região Nordeste, estão em andamento as obras das Redes Metropolitanas de Aracaju (SE) e Campina Grande (PB). A previsão é de que as redes sejam inauguradas ainda no primeiro semestre de 2009.


    Stephanie Borges
    RNP
    03.02.2009